Samsung Galaxy S8 e S8+: Análise aos topos de gama da Samsung

178284
0
Share:

Passaram algumas semanas desde que nos chegaram às mãos as mais recentes apostas da Samsung e mais especificamente os Samsung Galaxy S8 e S8+. Estes equipamentos que estavam na lista dos mais aguardados do ano sobressaem logo pelo design e pelo ecrã de elevada qualidade. Nas próximas linhas vamos contar-vos tudo sobre estes equipamentos.

O Design do Samsung Galaxy S8 e Samsung S8+

De algum modo, a linha S8 parece uma evolução do Galaxy Note 7, com o mesmo tipo de vidro e acabamentos em metal. A primeira coisa que salta à vista nos dois equipamentos é o ecrã que se estende até às extremidades, cobrindo toda a parte frontal do smartphone.

Samsung Galaxy S8

Quando olhamos para estes equipamentos pela primeira vez, sentimos que estamos perante dispositivos futuristas e que se destacam de todos os outros ao nível do design. São sem dúvida smartphones com um ar totalmente premium, para o qual contribui o facto de serem finos e terem acabamentos com muito brilho.

Porém não podemos deixar de referir que os pormenores brilhantes destes equipamentos também os transformam num verdadeiro íman de dedadas. Outro fator que nos preocupa é a eventual fragilidade. É certo que não os deixámos cair ao chão, mas considerando a quantidade de vidro nestes equipamentos, temos muito medo do que possa acontecer, caso isso suceda.

A propósito de não os deixarmos cair, houve alguém que teve essa coragem. Partilhamos o vídeo abaixo convosco.

Quedas à parte, a moldura em metal, também ela muito atrativa, tem o espaço para o slot SIM e cartão microSD no topo, o botão de energia na direita e o volume do lado esquerdo. Abaixo dos controlos de volume está uma tecla que dá acesso direto ao Bixby.

Na parte de baixo está a saída para auscultadores e também a porta USB-C a que a Samsung aderiu nestes modelos, como já havia acontecido como o A5 2017 que também testámos. Está ainda presente o alto-falante.

A parte frontal dos equipamentos é dominada pelo ecrã curvo, deixando muito pouco espaço para o resto. Apesar disto a Samsung conseguiu incluir a câmara frontal e até o sistema de análise da iris na parte superior. Isto deve ter sido na nossa opinião algo difícil de conseguir dado o tamanho tão fino da parte superior.

Abaixo do ecrã e pela primeira vez num topo de gama da Samsung não existe o botão home.

Na parte traseira está a câmara principal que assenta que nem uma luva no design, um flash LED, o sensor de batimentos cardíacos e o sensor de impressões digitais. Este último está “estranhamente” colocado ao lado da câmara.

Analisando todos estes aspetos facilmente se conclui que a nível do design estes equipamentos são dos mais inovadores do mercado. Em vez de imitarem a concorrência, a Samsung apostou na originalidade e obteve um resultado final que não deixa nenhum utilizador indiferente.

Ecrã

Neste campo o Samsung Galaxy S8 vem com um ecrã de 5.8 polegadas, que passa a 6.2 no caso do S8+. Apesar destas diferenças ao nível da dimensão, eles possuem a mesma resolução, ou seja, 1449×2960 pixéis, o que dá ao modelo com menores dimensões uma ligeira vantagem no que diz respeito à densidade de pixéis. Mais concretamente, estamos perante uma densidade de pixéis por polegada de 570 no S8 e de 520 no S8+. Neste caso, quanto maior a densidade de pixéis, melhor é.

S8+

De facto, nos novos Samsung o ecrã é rei e senhor. A Samsung gosta de lhe chamar ecrã Infinito e de facto, quando os equipamentos estão colocados em cima de uma secretária ou na nossa mão, parece que todo o equipamento é formado por um ecrã gigante.

Para além das cores realmente extraordinárias, a taxa de contraste é também impressionante. Importa salientar que a gama S8 foi a primeira a receber a certificação Mobile HDR Premium. Na prática isto significa que quando estão a ver determinados conteúdos vídeo em aplicações que suportem HDR, como o YouTube e o NetFlix, vão obter uma qualidade de imagem muito atrativa e superior.

A proteção do ecrã não foi descurada e como tal a Samsung utilizou vidro Gorilla Glass 5 para garantir maior segurança no caso de pequenas quedas ou riscos. Porém, não se iluda porque este vidro não torna estes equipamentos inquebráveis. Lembram-se do vídeo acima?

Ainda neste campo importa salientar que apesar da Samsung ter retirado o botão Home deste equipamento, manteve uma área sensível à pressão na parte inferior do ecrã que pode ser utilizado para acordar o equipamento quando não está a ser utilizado.

Nos nossos testes utilizámos os equipamentos em diversas condições, incluindo sob luz solar direta e conseguimos sempre uma boa visualização.

Caraterísticas técnicas

Os dois modelos da linha Samsung Galaxy S8 utilizam o mais recente chipset Exynos 8890 que é fabricado com tecnologia de 10nm. Integram um processador octa-core, com quatro núcleos a operarem a 2.3GHz e os outros quatro a 1.7Ghz. A isto junta-se a placa gráfica Mali-G71 MP20 que promete um desempenho 60% superior e 4GB de memória.

Ao nível do armazenamento encontramos de base 64GB que podem ser expandidos através de um cartão microSD.

Sistema Operativo e Interface

O Galaxy S8 corre o sistema operativo Android 7.0 Nougat com a nova interface Grace no topo. A Samsung resolveu batizar esta versão de Samsung Experience e está atualmente na versão 8.1.

À semelhança das interfaces da Samsung, esta é simples de utilizar e a nosso ver ainda melhor que a TouchWiz.

Para acedermos à gaveta de aplicações apenas necessitamos de deslizar o dedo para cima. O movimento contrário abre, como não será difícil de adivinhar, a janela de notificações.

O Bixby também dá um ar da sua graça nesta interface e é ativado através de um toque no botão dedicado e que conforme já referimos está localizado abaixo dos controlos de volume. Também o podem ativar se deslizarem o dedo da esquerda para a direta.

Uma área em particular que foi melhorada na interface foi o menu de definições, que já permite encontrar o que procuramos facilmente, ao invés de ser uma confusão de opções infinitas.

Câmara

A câmara do Samsung Galaxy S8 utiliza um sensor de 12 megapixéis muito semelhante ao que podemos encontrar nos anteriores S7 e S7 Edge. Tem uma abertura f/1.7 juntamente com estabilização ótica de imagem.

Apesar do hardware não ter sofrido, aparentemente muitas melhorias, este não foi certamente o caso do software. A aplicação da câmara abre ainda mais rápido e a focagem é quase imediata.

Em paralelo, a câmara parece lidar de forma ainda mais eficaz com a ausência de luz e as imagens são mais nítidas. Para além do que referimos é ainda possível capturar vídeo 4K e utilizar os modos de câmara lenta ou movimento rápido.

A câmara frontal apresenta igualmente resultados muito interessantes. Tem um sensor de 8 megapixéis que funciona muito bem, especialmente no caso das selfies.

Em paralelo, a Samsung atualizou a aplicação de câmara e incluiu novos filtros para a obtenção de resultados muito originais.

Depois de usarmos estes equipamentos durante duas semanas percebemos que os resultados da câmara em ambos os Samsung Galaxy S8 são realmente muito bons e consegue ultrapassar a concorrência em diversas áreas. Porém, existe só um contra a assinalar, pelo menos na nossa opinião. É que parece que o S8 por vezes deixa entrar demasiada luz o que pode deixar algumas imagens com excesso de exposição. Ao nível da cor os resultados são perfeitos, especialmente com os verdes. Eis algumas fotos que tirámos com os nossos equipamentos:

Ao nível da estabilização vídeo notam-se diversas melhorias comparativamente ao S7. Isto torna-se especialmente evidente em condições de baixa luz e quando estamos a filmar em andamento. Porém, importa salientar que apesar de todas as melhorias ainda poderão ocorrer ocasionalmente pequenos saltos.

Bateria

O Samsung Galaxy S8 tem uma autonomia semelhante ao S7, ou seja, se o carregarmos durante a noite, temos energia para um dia de funcionamento até chegarmos a casa. Tudo isto é conseguido com uma utilização média do smartphone, como ver o email, consultar as redes sociais, telefonar. Já no caso do S8+ os resultados são ainda melhores (derivado também ao facto da bateria ser maior). Utilizamos o equipamento durante o dia todo, chegamos a casa e ainda temos energia suficiente para funcionar durante uma boa parte do dia seguinte.

Mas há mais novidades neste campo. A Samsung afirma que esta nova bateria não perde eficácia ao longo do tempo. Em termos genéricos, um equipamento perde cerca de quinze por cento da capacidade de bateria por ano. Segundo a Samsung, a gama S8 não perde mais de 5% em dois anos.

Descubram aqui quais os equipamentos com maior duração de bateria. O S8 Plus faz parte desta lista.

Conetividade

Ao nível da conetividade destaca-se o 4G LTE, Wi-Fi 802.11 ac, Wi-Fi Direct, Bluetooth 5.0 e NFC.

Este é o primeiro equipamento a disponibilizar Bluetooth versão 5.0, o que significa que pode emparelhar dois dispositivos áudio ao mesmo tempo, como por exemplo, duas colunas ou dois auscultadores.

Desempenho

Notámos sempre um excelente desempenho tanto no Samsung Galaxy S8, como no S8+ que nos deixou muito satisfeitos. Rapidamente se acede às aplicações e mesmo com mais de 10 abertas não notamos qualquer atraso e estamos a falar de apps normalmente pesadas. Nos jogos ficámos com a mesma opinião. Testámos muito dos títulos presentes neste artigo sem qualquer atraso ou falhas.

Veredicto

A Samsung fez sem dúvida um excelente trabalho e não é preciso utilizarmos estes equipamentos durante muito tempo para ficarmos a gostar deles. De uma forma geral, o ecrã e o design são sem dúvida os pontos de honra que podem levar alguém a adquirir estes dispositivos, mas não é só. A interface está melhor, o desempenho é verdadeiramente bom e temos a certeza que quem comprar o S8 ou o S8+ não se vai arrepender. A Câmara também não falha, especialmente em condições de luz reduzida.

Preço

Samsung S8 819,99 Euros

Samsung S8+ 919,99 Euros

Design10
Ecrã9.9
Desempenho9.6
Autonomia9.2
Câmara9.5
Relação Qualidade/Preço8.5
9.5

Share:

Leave a reply